*Histori@ p@r@ sempre*

Monday, December 11, 2006

A nova bandeira

A bandeira Nacional está divida em 2 partes na vertical com duas cores fundamentais: o verde escuro do lado esquerdo e vermelho no lado direito.

O vermelho foi escolhido porque é uma cor que significa a força, a coragem e a alegria, e que representa o sangue derramado do povo português nas batalhas. O verde foi escolhido porque é a cor da esperança e do mar, em honra de uma batalha onde esta cor deu a vitória aos portugueses.


Ao centro por cima das duas cores está o escudo das armas nacionais, e a esfera armilar Manuelina em amarelo e preto.
Acabou se decidir que:
O branco representa a paz;
O escudo lembra a vitória do território;
As quinas, a azul representam as primeiras batalhas na conquista do país, cada quina contem 5 pontos brancos que significam as cinco chagas de Cristo, que ajudaram o Rei a vencer.
Os 7 castelos amarelos representam os castelos tornados.

A moeda




A meio-escudo de ouro, apareceu no reinado de D. Duarte. No reinado de D. João V cunharam-se também as dobras e múltiplos do escudo. Também nos reinados de D. José l, D. Maria l e D. João VI cunharam-se Escudos.
As moedas tinham, feitios e composições (umas eram grandes e de ouro, outras eram pequenas e de bronze…) todas eram diferentes.


Existiam moedas de 2, 5 e 10 escudos, e como submúltiplos criaram-se moedas de ouro de valor de 10,20 e 50 centavos.

Existiam também moedas de bronze de valor 4,2,1 e 0,5 centavos.




Todas foram cunhadas menos a moeda 0,5 centavos.
Depois de 1914 devido á primeira guerra mundial o escudo-papel (notas) experimentaram fazer uma descida de valor de dinheiro, e assim se começou a usar menos moedas de ouro.

Os Símbolos da República:

O hino

Os republicanos, como estavam no poder, nomearam um Governo Provisório, dirigido pelo Dr.Teófilo Braga, para dirigir o país, em quanto não fosse nomeada a nova Constituição e eleito o 1º presidente da Republica.
Era necessário criar urgentemente na população a consciência da mudança e o espírito do Regime Provisório.
O hino foi oficializado em 1911 depois do 5 de Outubro de 1910. O hino foi inventado por Alfredo Keil e a letra é de Henrique Mendonça.
Foi atribuído ao Hino Nacional o nome de “A Portuguesa”.

A Implantação da republica

No dia 2 de Outubro nasce uma nova republica. A revolução republicana nasceu em Lisboa na madrugada do dia 4 de Outubro de 1910.



Foi a 1º grande revolução portuguesa do século XX. O movimento revolucionário nasceu de pequenos grupos de conspiradores:
· Membros do exercito e da marinha
· Alguns dirigentes civis
· Muitos elementos da população


Apesar de alguma resistência e alguns confrontos militares, o exército cúmplice à monarquia não conseguiu organizar-se de modo a derrotar os revoltosos.
A revolução saiu vitoriosa.
Na manhã de 5 de Outubro de 1910, José Relvas e outras pessoas na varanda da Câmara Municipal de Lisboa, perante milhares de pessoas, proclamaram a República.
No mesmo dia, o rei D. Manuel II e a Família Real embarcaram na praia da Ericeira com destino a Gibraltar. O último rei de Portugal foi para Inglaterra.
Assim terminou a monarquia em Portugal.

A tragédia na família

No dia 1 de Fevereiro de 1908, no regresso de uma permanência em Vila Viçosa, o rei D. Carlos e o príncipe herdeiro D. Luís Filipe, foram mortos em público no Terreiro do Paço.









De um só golpe, Costa e Buiça, decapitavam a monarquia portuguesa, deixando o trono a poder de um inexperiente, com o nome de D. Manuel, sem capacidade nem margem de manobra para gerir uma situação política expansiva que terminaria com a queda da monarquia e a implantação da República a 5 de Outubro de 1910.










No dia, 21 de Maio de 1908, quase 4 meses depois o regicídio, o já então rei D. Manuel II, descreveu a forma como viveu esse péssimo acontecimento, sob o título de "Notas absolutamente íntimas".

Ultimato

O Rei da Inglaterra apresentou ao Rei D. Carlos um ultimato: Ou os Portugueses desocupavam os territórios entre Angola e Moçambique ou Inglaterra declarava guerra a Portugal. O governo português foi então obrigado a aceitar o ultimato proposto pelo Rei da Inglaterra que causou grandes manifestações de descontentamento.

Dificuldades do país (1890-1910)

O país estava numa grande crise económica, política e social. Os impostos estavam cada vez mais elevados porque o Rei tinha de pagar os empréstimos que tinha pedido ao Estrangeiro. O povo, já era pobre, mas a situação estava cada vez pior pois tinha de pagar os impostos para pagar a dívida do Rei.
A Burguesia ia ficando cada vez mais rica devido aos lucros vindos do comércio, da agricultura e da indústria.
A família real gastava mais dinheiro do que aquilo que podia, para coisas não necessitadas. Por esta razão o descontentamento popular aumentou e cada vez ia crescendo a oposição á monarquia.
Os governos não conseguiam melhorar as condições de vida do povo.